Alo Amigo!

Nesta semana o técnico da seleção brasileira, Dunga, anunciou os convocados para os amistosos diante do Equador e Colômbia, no mês de setembro. É o retorno do treinador a frente do selecionado, tentando reformular e apagar o vexame do Mundial de Seleções deste ano.

Na lista anunciada, algumas novidades que agradam os brasileiros, mesmo eles não tendo se manifestado com veemência e opiniões contraditórias ao que foi oferecido para o torcedor.

No gol, Rafael Cabral, ex-Santos e atualmente no Napoli. Foi destaque nas campanhas vitoriosas do Santos, na era Neymar e Paulo Henrique Ganso. Bom goleiro, mas será reserva do Jefferson, que foi mantido pelo comandante.

Na zaga a base com David Luiz, que deve ser o capitão da equipe, ao seu lado jogadores que poderiam ter sido utilizados pelo Felipão em Junho – Marquinhos (PSG), Gil (Corinthians) e Miranda (Atlético de Madrid), este ultimo vice-campeão da Liga dos Campeões e o principal jogador da equipe espanhola. Merecida a sua convocação.

Nas laterais, peças novas, com exceção de Maicon (Roma), que terá como concorrentes Filipe Luis (Chelsea), Alex Sandro (Porto) e Danilo (Porto). Os três últimos se aproveitarem a oportunidade, serão nomes certos em 2018, na Russia.

No meio de campo, Luis Gustavo (Wolfsburg), Elias (Corinthians), Fernandinho (Manchester City), Ramires (Chelsea), Everton Ribeiro (Cruzeiro), Oscar (Chelsea), Philippe Coutinho (Liverpool) e Willian (Chelsea). Gostei muito do nome do atleta cruzeirense, que vem fazendo ótimos campeonatos nacional. Muitos não deverão estar na próxima Copa do Mundo, por exemplo o Ramires e Elias, por questão da idade avançada na época.

No ataque, setor mais carente da nossa seleção, pois sempre temos os mesmos nomes e as opções estão cada vez mais escassas. Os convocados foram Hulk (Zenit), Ricardo Goulart (Cruzeiro), Neymar (Barcelona) e Diego Tardelli (Atlético-MG). Os dois atletas que jogam no futebol local, mostram potencial, mas no caso do atleticano a convocação é um pouco tardia se pararmos para avaliar o belo trabalho da campanha do Galo na Copa Libertadores da América.

Em conclusão de todos esses nomes que você apreciou ou detestou, temos que acreditar no desempenho do nosso grande ídolo Neymar, que voltou a atuar com qualidade de precisão, marcando no meio de semana, um golaço de calcanhar.

É Amigo, não espere muito do novo time, pois a safra é fraca. Bom domingo!