Alo Amigo!

E o grande dia chegou, diante de muita desconfiança do torcedor, manifestações da população contra a competição e o principal muito trabalho dos jogadores, finalmente o Brasil será testado em vários aspectos, neste domingo, na decisão da Copa da Confederações, em território verde-amarelo.

A partida diante da Espanha é o mérito do reencontro do brasileiro com o futebol pentacampeão. Os quatro jogos, neste torneio, fizeram com todos nos observássemos o nascimento de um time, mas não um time qualquer, mas um time de qualidade e conjunto, quase um Brasil de encher os olhos com a sua magia peculiar, do futebol arte e moleque.

Eu, mesmo, fui muito crítico com o elenco escolhido por Felipão e até com o próprio treinador, quando o seu nome foi anunciado pelo presidente da CBF José Maria Marin. Hoje, reconheço que valeu a pena esperarmos, pois, agora, todas as posições estão bem servidas e, o torcedor se identificou com cada delas e sabe escalar a seleção canarinho de traz para frente sem medo de esquecer qualquer nome ou desconfiar de quem estará em campo.

O divisor de aguas para que chegássemos até esse ponto de equilíbrio culminou com os protestos que a nação fez no mês de junho em busca de melhorias para a própria sociedade.

A vontade de se cantar o hino nacional e gritar à todos, o nome do Brasil, fizeram reacender o patriotismo de uma nação que esta aproveitando as oportunidades de crescimento perante os países emergentes para mostrar que realmente amadureceu e pode ser considerada uma potência, não somente no futebol, mas sim na em todos os setores que se dedicar ser a melhor. Tudo depende de quem esta no comando e obviamente o seu interesse tem que estar direcionado para o coletivo e não para o individual.

Ficou claro que o povo brasileiro acordou para o mundo e o mesmo aconteceu no esporte mais querido do mundo, nossos atletas viram e sentiram de perto o prazer de torcer e ter o apoio incondicional das pessoas que lotam as arquibancadas, nos estádios confortáveis que foram feitos ou reformados para que tudo fosse propiciado de momento de alegria e felicidade. Nestes momentos, os brasileiros reaprenderam a amar a camisa nacional novamente e que esse gesto de amor prevaleça na hipótese de derrota para os espanhóis. Acredito que não teremos um novo macaranaço, todavia é fundamental termos a consciência que fomos longe e que qualquer revés será para a ultima campeã mundial.

Dá-lhe Dá-lhe no GOOL com Julio Cesar, Dani Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Paulinho e Luiz Gustavo;  Oscar, Huck e Neymar; Fred.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code