Alo Amigo! Faltam quatro dias para o inicio da Copa do Mundo e o brasileiro, que busca o hexacampeonato, começou a se empolgar com a chegada das seleções em nosso território e esperamos uma festividade e não os tumultos que acompanhamos nos últimos dias.

Na grande cidade do país, na ultima sexta-feira, vimos o caos no transporte em geral, porque os metroviários e os engenheiros de tráfegos entraram em greve prejudicando os milhões de munícipes que buscavam ir ao trabalho e escolas e no final do dia, aproximadamente 70 mil torcedores foram ao Morumbi acompanharem o péssimo jogo entre Brasil e Sérvia.

Antes de comentar o jogo, algumas observações a serem feitas, pois eu vivi o dia de torcedor para essa partida, principalmente porque temos além do trânsito, greve dos responsáveis pelo transporte, tivemos manifestações e, chuva em boa parte do período vespertino. Creio que se seguirmos neste caminho, nós teremos os mesmos problemas em todo o país, fato que a imagem desta nação pode ficar mais manchada, ainda, nos tabloides internacionais.

Para o leitor ter uma referencia, na mesma sexta-feira, a Holanda foi realizar um treino e o ônibus desta seleção foi escoltado por dezenas de carros e o gesto impressionou o treinador holandês que comentou nunca ter recebido tamanha proteção policial, em nenhum local que já atuou. Outro detalhe é que, sem necessidade alguma, pararam todas as avenidas principais do bairro de Ipanema, no Rio de Janeiro.

Será que precisamos parar, realmente, o país para o torneio. Se nos adequarmos com um planejamento prático e bem gestional, não conseguiríamos ter ações ordenadas coerentemente? Sim, mesmo sabendo que o povo muitas vezes não tendo educação e respeito com o próximo.

Deixando de lado a questão estrutural e organizacional vou comentar do ultimo amistoso da Seleção Brasileira e Sérvia, com a vitória do nosso selecionado, pelo placar magro de 1 a 0, gol do apagado Fred. Digo apagado, porque não foi o atacante que vimos na Copa das Confederações. Não somente ele, tivemos outros atletas que não renderam o esperado e, pode até perder a titularidade, estou falando do meia Oscar, que é ameaçado pelo Willian, que por sua vez jogou muita bola e buscou jogo e em muitos momentos, teve habilidade de driblar alguns jogadores sérvios e dar mais tranquilidade para a estrela Neymar Jr.

Falando em Neymar Jr, eu mesmo vejo que é o diferencial do Brasil, sem ele o time de Felipão seria coadjuvante na competição. O menino de ouro verde-amarelo não se cansa e busca jogo durante os 90 minutos. Todavia, o time precisa ganhar um esquema mais ofensivo para passar da marcação de equipes que jogam mais recuadas, como vimos diante da Sérvia. Ressalto, que a Croácia tem o mesmo perfil de jogar que os sérvios.

Boa-sorte Brasil que o Hexa-campeonato chegue para alegria dos mais de 190 milhões de brasileiros, que criticaram, mas criticaram por te amam. Força Brasil!

E vou encerrar a minha coluna, lamentando o acidente do ex-atacante do Internacional-RS e São Paulo, Fernandão que, com 36 anos, faleceu no dia de ontem. Perdemos um grande ícone do futebol!

Sidney Botelho é Apresentador / Âncora da Rede de Gospel de TV, Narrador Esportivo da Rádio Premium Esportes e Coluna do Jornal Gazeta de Limeira. Além disso tem um amplo trabalho como mestre de cerimônias de eventos corporativos, casamentos, debutantes.