Alô Amigo! A coluna Dá-lhe Dá-lhe no Gol, desta semana, vou dedicar a uma equipe tradicional mas que nunca conseguiu um feito tão marcante na sua história que é disputar uma final de torneio internacional, aliás é a primeira vez que disputa uma competição deste porte de importância. Hoje o tema é a Associação Atlética Ponte Preta.

São 113 anos de história, é uma das equipes mais antigas do nosso futebol, algoz de algumas equipes de ponta, protagonista de finais inesquecíveis, por exemplo a mais notável delas, a do título do Corinthians em 1977, sendo que por pouco não deixaria o time paulistano mais um ano na fila.

E o ano de 2013 será atípico, para o time da cidade de Campinas, postou a direção pontepretana, uma das mais ativas do país, mostrou à todos que o objetivo pode mudar ao longo do planejamento mesmo que se tenha prejuízos ou até mesmo a queda de divisão para que seja realizado um sonho mais audacioso, que é conquistar o troféu da Copa Sul-Americana.

A trajetória não foi fácil e deixou pra trás dois campeões de Copa Libertadores da América, Velez Sarsfeld e São Paulo. O primeiro foi eliminado em casa, sem nenhuma duvida de garra e foco dos brasileiros diante dos argentinos. Já o time compatriota não foi capaz de superar em  nenhum momento a força da Macaca.

A Ponte Preta derrubou o Tricolor em pleno Morumbi, quando aplicou três gols contra apenas um. A vantagem obtida na primeira partida garantiu a vaga, mas o lado positivo foi o domínio perante o adversário.

Para o jogo de volta, a polemica criada pela diretoria sãopaulina que sempre atenta não aceitou mudar as regras e permitisse que a partida fosse realizada no estádio Moisés Lucarelli e forçou que a semifinal fosse na cidade de Mogi Mirim. Mesmo diante de todos os obstáculos a macaca se tornou um gorila e não se amedrontou e eliminou o time da Capital, alcançando a classificação.

Amigo, a Ponte está de parabéns em não se enfraquecer diante dos problemas de desconfiança do potencial, em comparação ao Brasileirão, e seguiu focada em um só objetivo, fato que ao contrario de muitos clubes, conseguiu se dedicar, pois o que conquistar será de grande valor e entrará para a história do clube.

Para a Ponte Preta vencer o Lanus é apenas mais uma glória, diferente de outros brasileiros que colocam como prioridade levantar o caneco e já entram com o peso dessa responsabilidade, ou seja, é hora de curtir o momento e deixar rolar, pois se for pra ser campeão será, indiferente dos obstáculos que terá pela frente. Sorte Macaca!