Alô Amigo!

O fim da primeira rodada da Copa das Confederações e vimos que já estão formando as seleções que disputarão as semifinais do torneio.

As seleções que se destacaram, neste final de semana, foram Espanha, Brasil, Italia e Uruguai.

Das seleções citadas apenas a Nigéria esta ausente das que venceram, tudo porque eu creio que os campeões da América do Sul terão a segunda fase do grupo.

Eu, particularmente, fiquei encantado com a seleção espanhola. O futebol apresentado, por Xavi e Iniesta, é de causar saudade do futebol arte de Brasil de 1982 e Holanda de 1974. Os passes, as jogadas individuais, o conjunto demonstram que é possível montar uma seleção de poderes ofensivo e defensivos  com estratégias e muita preparação. Essas duas características caíram em desuso no nosso país.

A seleção canarinho perdeu a essência de jogar, devido aos comandantes que ali ficaram e estão. Pergunto-lhe a você que sempre me acompanha – será que os jogadores que temos não era para sermos um pouco parecidos com os exemplos acima? Infelizmente tivemos quatro anos para montar uma seleção jovem e não criada, devido as insistências em testarem atletas que seriam negociados com clubes e não possuíam qualidade para tal função.

Mas, este é  um tema que vou tratar mais adiante, pois quero enaltecer o belo futebol dos espanhóis e creio que serão os principais candidatos ao titulo.

Outras duas seleções que me agradaram foram Brasil e Italia, que conseguiram deixar de lado o peso da camisa e sim mostrarem para o publico dos estádios, Mané Garrincha e Maracanã, que são equipes que estão em formação, mas que possuem muito talento.

O Brasil realmente foi preciso pois contou com dois atletas que estão crescendo a cada dia, Oscar e Neymar, que juntos possuem sincronismo e entrosamento mutuo. Creio que o time ideal deveria jogar no 352, com o Lucas no lugar do Hulk e, a dupla de volantes Luiz Gustavo e o incontestável Paulinho. Mas vamos dar voto de confiança para o Felipão, o importante é começar com vitória e vencer bem, foi que aconteceu diante do Japão.

Já os italianos, mostraram que estão com uma formação de muita qualidade e força física. O Balotelli e o Pirlo desequilibraram os mexicanos que não conseguiram jogar o que sabem. A base, da Juventus e Milan, faz do time preparado para brigar por uma vaga na decisão com o próprio Brasil.

Sidney Botelho é Mestre de Cerimônias, Cerimonialista e Palestrante. Você já assistiu os vídeos no site? Aprecie sem moderação www.sidneybotelho.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code