Alô Amigo!

Na ultima quarta-feira eu estive na Arena Corinthians para transmitir a partida do Timão diante do Bahia, pela Copa do Brasil e, o que eu vi foi que toda a estrutura de oferecida na Copa do Mundo para que o torcedor pudesse chegar ao local do jogo não esta como deveria permanecer.

São duas estações de metro que dão acesso ao estádio porém, eu desci em Arthur Alvim e fui caminhando até a entrada da imprensa e o que eu vi, foram espaços e passarelas sem iluminação e policiamento algum fazendo a segurança dos torcedores naquele trajeto. Muitos ambulantes e andarilhos posicionados em vários becos, no qual deixam as pessoas vulneráveis.

Para quem desce em Itaquera para a entrada que dá acesso aquele metro é maravilhoso, todavia para quem errar o acesso tem que fazer o caminho de volta do citado anteriormente.

Outro ponto negativo foi o horário da partida, as 22 horas, não é condizente para um estádio tão distante do centro da Capital. Tudo porque o Metro encerra as atividades a meia-noite e dezenove minutos, como anunciado pelo locutor da Arena.

Sei que o estádio do Morumbi nem estação de Metro tem perto, mas os organizadores têm que rever esse quesito, pois o terceiro gol do Corinthians não foi visto por metade dos torcedores que assistiu ao jogo.

Referente a estrutura física e de visibilidade para a transmissão, realmente é um dos melhores estádios do Estado para se trabalhar. Não existe ponto-cego e foi muito fácil para se trabalhar, a assessoria do clube nos ofereceu bom ambiente para exercer o nosso ofício.

As observações dessa coluna são para a melhoria continua pois o futebol é consumo e o torcedor é um consumidor, ou até mesmo, um cliente, que deve ser tratado com respeito e ter o direito de cobrar como em qualquer outro tipo de serviço contrato. Se cobra caro para ter uma estrutura adequada e com amplo conforto.

Eu me baseio nas provas de corridas de ruas que são sinalizadas e com orientadores por todo o circuito em que o atleta irá passar, tendo um conteúdo de informações sem duvidas e uma estrutura de apoio técnico e de emergência para todos os corredores.

Amigo, o que quero dizer, que um jogo é um evento e um evento deve ser planejado com antecedência e com todas as suas condicionais e seus os respectivos detalhes. Mas vemos que quando se fala de futebol todos os quesitos básicos ficam de lado e não são cumpridos como deveriam.

Atenção dirigentes, vamos acordar para o mundo moderno e aproveitar para faturar com ótimos serviços e produtos atrativos para todos os torcedores, mas que sejam feitas estratégias qualitativas e não abusivas como são naturalmente feitas por aproveitadores de plantão.

Na verdade precisamos de padrão e que seja o FIFA e não o popular “jeitinho brasileiro”.