Alô Amigo!

A Copa Libertadores da América mostrou nesta semana que a forma de torcer dos sul-americanos é muito fanática e popular. Não há comparação com a comemoração feita pelos europeus, vide que na ultima quarta-feira tivemos a prova de dois grandes jogos envolvendo equipes populares do cenário futebolístico em dois continentes diferentes.

A semifinal da Liga dos Campeões que envolveu Barcelona e Bayern de Munique, vimos o glamour das torcidas, uma educação peculiar e diferente do que estamos acostumados em nosso território. O fanatismo é o mesmo, a paixão é mesma, mas a apreciação da arte é o que dá prazer para aqueles que estiveram na goleada da equipe alemã diante dos espanhóis. Mesmo com a soma do placar sendo uma elástica, em nenhum momento tivemos desordem ou confusão. Observamos pelas imagens aplausos ao adversário que foi superior em todos os momentos.

Mas comparar Barcelona e Bayern Munique com Boca Juniors e Corinthians temos que fechar os olhos para esses detalhes culturais do que o dá festa especificamente.

O futebol é lindo de se ver dentro e fora do campo e assistir uma partida no La Bombonera é saber que na vida você viveu um dia de conto de fadas. E realmente é isso mesmo, quem ligou a TV para ver, o jogo do Timão e do Boca, viu o quanto é contagiante e empolgante a adrenalina oferecida pelos argentinos.

Toda a euforia passada das arquibancadas para o campo fez com que até mesmo os jogadores do Corinthians se emocionassem e sentissem a força da massa azul e amarela.

Esse é o La Bombonera, oficialmente Estádio Alberto Jacinto Armando, no popular do futebol o verdadeiro caldeirão, local que estremece os adversários e enfeitiça com sua magia aquele que ama o esporte mais popular do planeta. Os cânticos, as batidas, as bandeiras, o incentivo são características que ficam marcadas e registradas nas recordações de quem vive esse momento.

Agora, que o corintiano faça a sua parte no Pacaembu. O fiel torcedor tem que lotar o Municipal e que não se deixe levar com o revés da partida de ida do torneio sul-americano. É o momento de cantar, gritar, chamar a responsabilidade para si e se fazer presente retribuindo o encantamento vivido por aquele que vive do futebol e da sua essência principal que é saborear cada lance e o principal o gol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code