Alo Amigo!

Neste domingo quero falar dos velhinhos de sucesso no Campeonato Brasileiro, aliás eles estão mais jovens que muitos outros craques que iniciam a carreira sem perspectivas de serem um grande atleta igual ou melhor dos que estão no fim de carreira.

Mas, curiosamente os clubes agradecem a dedicação e o empenho de Alex (Coritiba),Seedorf (Botafogo), Juninho Pernambucano(Vasco da Gama), Paulo Baier (Atlético-PR), Zé Roberto (Grêmio), Ronaldinho Gaúcho (Atlético-MG), Léo (Santos), Rogério Ceni (São Paulo), sem falar dos atletas que estão próximo dos 35 anos e não citei, mas vale destacar apenas os corintianos Danilo e Emerson Sheik, além do Chicão que esta no Flamengo.

Até pouco muito se falava que a carreira do jogador era curta e tinha que aproveitar ao máximo para que aos 33 ou 34 anos o profissional se preparasse para a aposentadoria, mas a circunstancia é outra e, consequentemente, a medicina e a tecnologia ajudaram a longevidade destes jogadores que encantam os olhos de seus torcedores.

Anos atrás, os atletas tinham o acompanhamento da comissão técnica, porém hoje a ciência ajuda-os a manterem a alimentação regulada, a mente tranquila, os músculos condicionados e a técnica aprimorada. Recursos humanos e materiais permitem essa evolução do jogador de futebol.

É muito bom vermos a experiência ser ovacionada pelo público, quando em muitos setores o reconhecimento pelo tempo de trabalho é mais valorizado pela sociedade.

E não estou falando de jogadores que não se planejaram para pararem de exercer o seu oficio, mas simplesmente porque eles estão na melhor forma deles. O alto desempenho desses atletas ajudam os clubes a formarem jovens com mais qualidade, no que levará a uma boa negociação futura, resultando em receita para investimentos em outros ídolos para o clube.

Além dessa razão de aproveitar o conhecimento e a liderança dos mais antigos, os clubes podem aproveitar para montar estratégias mais audaciosas de marketing. Em alguns casos podem ganhar com venda de camisas, aparições em eventos dos patrocinadores dos clubes e muito mais.

Os nomes citados são de atletas de muita credibilidade e de importância para os respectivos clubes, alguns deles somente se destacaram na mesma equipe e podem ser considerados deuses pelo mais aficionado. Vide os casos de Rogério Ceni, Juninho Pernambucano e Léo.

Amigo leitor da coluna Dá-lhe Dá-lhe no GOL como diz o ditado popular o jogador esta igual o vinho, quanto mais velho melhor. Eu concordo com essa frase e vou de encontro com a declaração do meia Paulo Baier, que eles possuem muita lenha para queimar por mais dois anos.

Para nós apaixonados pelo futebol arte temos que aproveitar para apreciar cada lance, cada jogada, cada drible e o principal cada gol e, nunca esquecermos de que quanto mais velhos ficamos, mais sábios seremos e que a nossa sabedoria inspirará os mais jovens darem continuidade a nossa história e a história da nossa profissão. Bom domingo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code