Alo Amigo!

Neste ultimo domingo do ano de 2013, no meio das minhas férias não poderia de escrever algumas palavras que foram importantes para mim, no ano que termina, e há anos esta ao meu lado, que são os leitores do Jornal Gazeta de Limeira e todos do Blog Dá-lhe Dá-lhe no GOL.

Nesta ultima coluna vou relembrar os momentos que marcaram o ano, porém todos os melhores momentos ficaram concentrados no primeiro semestre, principalmente para os brasileiros.

O destaque inicial desse comentário vai para a seleção brasileira que conquistou o título da Copa das Confederações ao bater a Espanha, atual campeã mundial. Não digo pelo futebol apresentado pelo selecionado em si, mas pelo resgate do prazer do torcedor de ver jogadores dedicados e com vontade de vestir a camisa verde-amarelo. A atenção que se precisa observar é não se empolgar com um time que não teve o preparo suficiente para ir pra cima de seleções, muito mais preparadas, como Alemanha, Espanha, Inglaterra e Holanda. O ano de 2014 não será fácil para nós, todavia a torcida nacional manterá a mesma alegria.

Deixando a seleção de lado, vou comentar dos mineiros que fizeram bonito, neste ano. O Atlético-MG foi campeão da Copa Libertadores da América e o Cruzeiro conquistou o título nacional. O mérito do bom desempenho deles, realmente foi o planejamento da comissão técnica, que contou com o apoio da presidência e tiveram tranquilidade para exercerem o trabalho. Os treinadores Cuca, do Galo e, Marcelo Oliveira, da Raposa, fizeram a diferença pela força de liderarem os elencos. Surpreenderam à todos aqueles que desconfiaram do potencial e se igualaram aos tradicionais comandantes – Tite, Muricy Ramalho e Felipão, os melhores da atualidade.

Já o futebol paulista só tenho a dizer que aprendemos a não usar a camisa como a única força pois, não há mais como nenhum time deixar de se esforçar diante de times sem desejo de ser campeão. O Corinthians, penúltimo campeão mundial, não passou de coadjuvante no ano. Não quis jogar e quando jogou apenas, como prêmio de consolação ganhou a Recopa do São Paulo. Aliás, o ano serviu para que alguns jogadores decidissem o futuro de não continuarem no Timão e o Alessandro aposentasse as chuteiras e, a marcante despedida do técnico Tite, que deixou o seu nome registrado na história do clube.

O São Paulo torceu para que 2013 terminasse e se possível nunca tivesse existido, pois foram meses de duvidas sobre o potencial dos grandes nomes do elenco atual do Tricolor. Mas só foi chegar do Muricy Ramalho para consertar os erros da diretoria são-paulina que conseguiu contratar o Paulo Autuori e não colher os frutos esperados. Errar é humano, mas o torcedor se revoltou e por muitas vezes cobrar a saída do presidente Juvenal Juvêncio. Resultado final, depois de ficar metade do ano ameaçado a descer para a série B, o Tricolor amargou a eliminação na semifinal da Copa Sul-Americana, pela Ponte Preta.

Falando em Segundona, o Palmeiras não vez mais do que obrigação de conquistar esse torneio indesejado pelos alviverdes. Mas o objetivo foi cumprido e o retorno para a elite só faz o clube se reforçar para não ter que amargar momentos ruins que vivenciou em 2012. E o maior acerto da atual diretoria foi manter o técnico Gilson Kleina. E para fechar o Santos, que vendeu o Neymar, teve a saída do Luiz Alvaro Ribeiro, não rendeu o que pretendia e terminou o ano com um técnico interino. Não precisa escrever mais nada de um time que não fez nada.

E diante de um ano sem graça, quero escrever coisas boas e desejar um ano de muitas realizações e conquistas para todas as famílias. Feliz 2014, que a paz reine em todos os lares.