Carille ou Sampaoli, quem leva a melhor?


Alô Amigo!

O ano de 2019 se iniciou com duas novidades, nos adversários deste domingo, em Itaquera, no clássico Corinthians e Santos, os treinadores Fábio Carille e Jorge Sampaoli.

Se para o corintiano o retorno, do técnico campeão brasileiro de 2017 e bi-campeão do paulistão de 2017 e 2018, foi a maior contratação para a temporada, para o santista não foi muito diferente, por que a chegada do argentino, foi vista com a melhor da temporada, entre os clubes, até a bola rolar.

É curioso, que o primeiro jogo do ano das duas equipes foi em um amistoso fraquíssimo, que contou com todos os atletas em campo e o placar de igualdade de 1 a 1. Mas a coincidência mesmo, apenas nesta partida de amigos, pois nos três meses de competições vimos altos e baixos nos elencos.

No Corinthians, os dois primeiros meses foram terríveis, tendo um aproveitamento no Paulistão de apenas 51,9%, bem abaixo do esperado pelo torcedor e pelo próprio comandante. Além do mais, amargou jogos difíceis na Copa do Brasil, principalmente contra o Ferroviário, em Londrina, quando empatou em 2 a 2, vencendo nos pênaltis. O Timão acordou apenas, no clássico diante do Palmeiras, quando o venceu pelo placar de 1×0.

O destaque do time da Capital é o Gustagol artilheiro da equipe e que, por ironia do destino, não estará em campo contra o Peixe, deixando o cargo de matador para Mauro Boselli, que até agora não encheu os olhos de ninguém com suas atuações.

No lado do Santos, o técnico Jorge Sampaoli, chegou para realizar um sonho de dirigir uma equipe brasileira, com o maior objetivo que é justamente, chegar a nossa seleção, que eu acho muito difícil, decorrente aos concorrentes ao cargo ocupado pelo tranquilo Tite, que para mim, perdeu a mão no comando dos canarinhos. Este é um assunto, que comentarei em outra ocasião.

Se para dirigir a nossa seleção é impossível, do que falar do time que ele esta montando e ao mesmo tempo, sem recurso financeiro e de investimento, por parte da presidência do clube. O próprio treinador afirmou, inúmeras vezes, que precisa de um homem gol, pois perdeu Ricardo Oliveira, Gabigol, nomes que superam em todos os quesitos o atacante Rodrygo, negociado junto ao Real Madrid.

A contratação de “peso” foi Cueva, que estava no futebol russo, depois de uma passagem pífia no São Paulo, que não mais aguentava o meia-atacante.

O Peixe é a melhor equipe do campeonato, com a classificação antecipada, além de ter o aproveitamento de 81,5%, com apenas uma derrota, aliás foi a derrota massacrante de 5×1 para o Ituano, que gerou desconfiança dos jornalistas, torcedores e diretores.

Mas, na avaliação de quem é o melhor técnico no momento, não há como cravar, pois ambos possuem suas características e os seus méritos, mas não depende deles somente e sim, dos atletas que são comandados por eles, que por sinal, parecem estar em fim de temporada, sem vontade alguma de atuarem com a camisa do treinador correspondente. Eu, particularmente, não vejo os jogadores atuais com esse perfil, pois passa na cabeça destes, que treinador é descartável e se tiver vitória bem, se não, tanto faz, pois o salário cairá na conta no final do mês normalmente.

Sidney Botelho – Instagram @sidneybotelho – Site: www.sidneybotelho.com.br

Foto ilustrativa: Internet